domingo, 21 de setembro de 2008

Sabor de infância - ROSELY SAYÃO

Recentemente, li um artigo do chef Massimo Bottura -que trabalha e reside em Módena, Itália- em que ele diz que, para criar seus pratos, recorre ao banco de memórias dos sabores de sua infância. Ele afirma que as novidades da comida de vanguarda ainda não são para todos e que a melhor atitude para permitir sua apreciação é despertar a curiosidade das pessoas desde a infância. E, diz ele, nisso os jardins-de-infância de Módena são um exemplo, já que oferecem um menu variado de comida italiana e internacional aos alunos.

Essa região da Itália, chamada Emilia-Romagna, é rica não só em gastronomia, mas também em educação. É em Reggio Emília, cidade vizinha a Módena, que está o que é tido como o melhor projeto em educação infantil do mundo.
Estive lá e me deliciei com a preparação do almoço das crianças. Elas mesmas colocam a mesa, tuteladas pelos adultos, é claro. E sabem preparar a mesa até para as situações mais formais. Na hora do almoço, divertem-se, compartilham, experimentam quase tudo sem fazer drama. É que alimentação, como disse o chef italiano, "não é matemática, é emoção".
Já acompanhei a hora do lanche na educação infantil em várias escolas de São Paulo. As lancheiras estão sempre recheadas de produtos industrializados. A quantidade de crianças que leva um lanche preparado carinhosamente em casa é mínima. E não me refiro aqui à questão nutricional, e sim ao aconchego que pode significar a alimentação para a criança.
É a mãe que dá o melhor alimento ao filho quando ele nasce: o leite materno. E, quando o bebê é alimentado, não é só a fome do estômago que é saciada: é também a de carinho. É assim que nasce a sensação de prazer, e não só a de satisfação de uma necessidade, a alimentar.
É esse o modelo que poderia ser mantido à medida que a criança cresce, mas parece que, no mundo atual, a alimentação se transformou em consumo apenas ou, então, em questão nutricional. E dá-lhe comida balanceada ou industrializada!
Não vale dizer que hoje os pais não têm tempo para preparar o lanche do filho, já que essa tarefa demanda um mínimo de tempo, mas muito de dedicação. E é nessas situações simples que os pais podem expressar sua afetividade. Preparar um lanche inusitado ou um almoço acompanhados pelos filhos são situações que vão construir a memória de sabores e afetos da criança. Essa mesma memória que o chef italiano usa para criar seus pratos.
Muitos pais que preferem ir a restaurantes com os filhos nos fins de semana o fazem por considerarem trabalhoso fazer comida em casa. E não é trabalhoso ir ao restaurante? Certamente é. Envolver os filhos nas delícias da transformação de alimentos em comida gostosa para ser compartilhada é simples e fácil: basta ter coragem e disponibilidade. O resultado é visível: as crianças ficam bem mais tranqüilas e felizes.
Gastronomia e educação têm muito em comum: ambas exigem paciência e persistência, dedicação e disponibilidade, rigor, atenção aos detalhes e respeito à tradição, trazendo-a ao tempo presente.

6 comentários:

O mundo da priscila disse...

Rosely Sayo

Meu nome é Priscila de Oliveira tenho 22 anos e sou estudante.Pretendo fazer Medicina e o que mas me encanta são ás informações que chegam á nós somente com a pretenção de educar; não tenho filhos mas concordo com a sua chamada.
A está referencia vai um monte de alerta, se os Pais educar com carinho a alimentação, evitariamos vários doenças.
E se me permite, eu quero colocar em meu blogue algumas passagens.

Pessoal: http://priscila-cilinha.blogspot.com
ENIGMAS: http://enigmas-medicina.blogspot.com

Desde já agradeço a sua atenção.

Bruno Vinícius disse...

Gostei! : )

Humberto disse...

Olá, como vai? O blog ainda está funcionando? Eu gosto de escrever e adorei encontrar tal site.

Cláudia Dans disse...

oi. Meu nome é Cláudia e buscando um texto da Rosely Sayão encontrei o seu blog! Muito bacana mesmo! Vou incluir nos meus favoritos e linkar no meu blog, certo?

ah, o endereço do meu blog é http://palavra-escrita.blogspot.com

abraços!

Douglas Porto disse...

Opa, eai Dudu beleza ? Muiito maneiro esse blog aqui..
Gostaria de saber como posso entrar em contato ou então te mostrar uma das minhas crônicas pra vê se estão aptas à entrar pra cá ! haha
De qualquer forma vou deixar o link dela aqui : http://oqueeumaverdade.blogspot.com/2009/04/triste-samba.html

Valeeu abraço.

Anônimo disse...

Obrigado pelo blog e o trabalho de cronicar brasileiros/as. No Rio da Prata é atrapalhante achar trabalhos breves e bons.Desconhecia o feito pela Rosely e gostei do texto tanto quanto o opinado pela leitora já imagino quase médica. Parabéns e tomara siga o blog . Imagino os/as autores/as ganham muitos leitores "mercosur/sul" Bom 2010. Fred.